domingo, 22 de abril de 2018

Francisco presente!

Há exatos dez anos morria o camarada Francisco Martins Rodrigues. Suas ideias, seu exemplo e sua prática seguem presentes em nosso cotidiano. A contribuição teórica e prática do Chico, e do coletivo que em torno dele se organizou, segue viva e ainda tem muito a dar na necessária reconstrução do partido revolucionário do proletariado.
Nos nossos tempos, onde grassa o oportunismo e o reformismo entre as fileiras do proletariado, resgatar a contribuição do Chico é fundamental. Com esse objetivo reproduzimos abaixo uma resenha crítica ao seu livro Anti-Dimitrov: 1935/1985 meio século de derrotas da revolução, resenha publicada originalmente em 2012 no sítio Primeira Linha.
Para nós, do Cem Flores, sem ser uma frase vazia, é absolutamente real afirmar que Francisco está presente! Vive entre nós por sua teoria e sua prática.
Acesse no link abaixo a postagem.

quinta-feira, 19 de abril de 2018

O agravamento das contradições interimperialistas e a recente agressão imperialista à Síria

Na noite da última sexta-feira, dia 13 de abril, o pulha que é o gerente de plantão da maior nação imperialista do globo, Donald Trump, anunciou via Twitter mais um bombardeio à Síria. Ao seu lado em mais essa agressão a primeira-ministra britânica Theresa May e o presidente francês Emmanuel Macron. Dessa vez, a justificativa para a chuva de mais de uma centena de mísseis em Homs e Damasco foi atingir supostos centros de pesquisa e armazenagem de armas químicas como retaliação de um improvável ataque com essas armas a um reduto rebelde (aliado aos EUA) praticamente derrotado. Há controvérsias se realmente houve o ataque com armas químicas e de quantos mísseis americanos conseguiram ser interceptados pela defesa antiaérea russa em ação na Síria, mas o fato é que alvos como o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Barzah, foram devastados, como foi divulgado na imprensa a partir de fotos de satélite. 

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Reafirmar a Necessidade de uma Posição Política Independente do Proletariado na Luta de Classes

Sobre a prisão de Lula e o caráter de partido burguês do PT 

[Os proletários] não devem se deixar cativar [...] pela retórica dos democratas, como, por exemplo: dessa maneira se estaria fracionando o partido democrático e dando à reação a possibilidade de chegar à vitória. No final das contas, todo esse fraseado vazio tem um único propósito: engambelar o proletariado. Os avanços que o partido proletário poderá fazer através dessa atuação independente são infinitamente mais importantes do que a desvantagem gerada pela presença de alguns reacionários entre os representantes. 

Marx e Engels - Lutas de Classes na Alemanha

O maior perigo [...] são as pessoas que não querem compreender que a luta contra o imperialismo é uma frase oca e falsa se não for indissoluvelmente ligada à luta contra o oportunismo.

Lenin - Imperialismo, Fase Superior do Capitalismo

Combater a ideologia do oportunismo e do reformismo no seio do proletariado e dos demais trabalhadores. Buscar o rigor de uma análise científica da conjuntura de luta de classes, alinhada com os princípios do proletariado. O presente documento busca alcançar esses dois objetivos e contribuir com o esforço de construção de uma posição política independente da classe operária no Brasil atual. 

Para o proletariado se firmar enquanto posição política independente e se construir em classe dominante não pode abrir mão de seus princípios nem cessar sua luta contra as posições burguesas que invadem seu campo.

quinta-feira, 8 de março de 2018

O Sal da Terra

Em homenagem ao 8 de março, Dia Internacional das Mulheres indicamos, no link abaixo, o filme O Sal da Terra (1954) dirigido por Herbert J. Biberman e com roteiro de Michael Wilson. Baseado em fatos reais o filme retrata uma greve de mineiros no Novo México, EUA e destaca, principalmente, a combatividade, a coragem, a alegria e o vigor das mulheres ao assumirem a vanguarda da luta do proletariado.
Importante destacar que no filme, magistralmente dirigido e com roteiro magnífico, a maioria dos atores não são profissionais e vários participaram efetivamente da greve retratada.

sábado, 24 de fevereiro de 2018

A nova intervenção militar no Rio de Janeiro: reforço da repressão burguesa no Brasil

Foto de capa da Folha de São Paulo (21/02/2018)    
Hoje em dia, qualquer situação de incursão é esculacho em cima do morador. Entram na casa, batem, obrigam a fazer as coisas. Entram sem licença, sem documentação, e revistam, acham que têm direito de fazer tudo. Trocam tiro com bandido com a gente na rua ou não. Não tem hora certa pra poder entrar ou fazer incursão, de causar vários tipos de problema.

Relato de Morador da Maré no livro A ocupação da Maré pelo Exército Brasileiro - percepção de moradores sobre a ocupação das Forças Armadas na Maré, 2017


No dia 16 de fevereiro, Temer assinou um decreto de intervenção federal na segurança pública do estado do Rio de Janeiro. A intervenção, rapidamente aprovada por ampla maioria no Congresso, transfere o comando da Secretaria de Segurança, das polícias, do corpo de bombeiros e do sistema carcerário do estado para o General do Exército Walter Souza Braga Netto, (pelo menos) até o dia 31 de dezembro de 2018.
A resposta do capitalismo brasileiro à barbárie e à banalização da violência só pode ser mais violência. Solucionar os problemas das classes dominadas que alimentam a violência urbana exige a própria derrota da posição e do poder dos dominantes